AS MELHORES FRASES SOBRE NOMEAÇÕES

Talvez seja "excessivo" chamar "boy" a Eduardo Catroga, mas o seu vencimento na administração da EDP é "pornográfico", diz um antigo líder do PSD . A polémica em torno das nomeações "políticas", na elétrica e nas Águas de Portugal, estalou.

Manuel Frexes, o novo presidente de administração da empresa Águas de Portugal, passa de "devedor" a "credor", com um salário de fazer "ciúme" em tempo de crise. Mas será "lepra" ter cartão do PSD ou do CDS? Afinal, é tudo gente com provas dadas, "até na China" reconhecida. Eis as melhores dez frases de uma polémica que, por certo, irá durar.

"Um salário desta natureza [ 45 mil euros/mês, de Catroga] é mais ou menos pornográfico".

Marques Mendes, antigo líder do PSD, TVI24

"Isto não é a EDP, é a comissão de honra das campanhas do PSD e CDS".

João Semedo, deputado do BE, debate na AR

"Considero que sou um candidato natural para a EDP".

Eduardo Catroga, ex-ministro do PSD, Diário Ecónómico

"É completamente injusto falar da nomeação de Eduardo Catroga como uma nomeação política".

Ricardo Salgado, presidente do BES, Lusa

"Veja-se o caso de Eduardo Catroga, ex-ministro do PSD, e Celeste Cardona, ex-ministra do CDS, gestores de topo que, pelos vistos, até na China são conhecidos".

Jorge Machado, deputado do PCP, debate na AR

"Não é crime ser militante de um partido. Tenho sido absolutamente coerente com as ideias e objetivos [de 'libertar o Estado' do 'amiguismo' e do 'clientelismo']".

Pedro Passos Coelho, primeiro-ministro, DN

"Qualquer dia ser do PSD é uma espécie de lepra e é proibido ser do PSD para ocupar um cargo público".

Luís Filipe Menezes, pres. da C.M de Gaia, Lusa

"Achei extraordinário que alguns omitissem, como quem se esquece, que Álvaro Castello-Branco é presidente das Águas do Porto, a menos que seja uma questão de xenofobia contra o Norte".

Paulo Portas, ministro e líder do CDS-PP, TSF

"É imaginável que o autarca devedor do Fundão [Manuel Frexes], que perdeu em tribunal a sua contestação às Águas de Portugal, seja promovido a administrador credor dessa empresa e ainda com o salário insultuoso de 150 mil euros".

José Junqueiro, deputado do PS, Lusa

"Não faço a mínima ideia do que é que poderá ter determinado os acionistas da empresa [EDP], mas houve ali um ou dois exageros e uma vontade de agradar ao Governo".

António Capucho, antigo dirigente do PSD, Jornal de Negócios

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG