António Costa quer socialistas com apenas um candidato a Belém

Secretário-geral do PS considera que a multiplicação de candidaturas à esquerda pode ser um obstáculo à vitória socialista nas presidenciais.

António Costa defende que a área socialista deveria ter um único candidato presidencial. "Não creio que esteja a favorecer a direita a disputa entre Marcelo Rebelo de Sousa, Pedro Santana Lopes e Rui Rio. Não é algo que esteja a favorecer muito a afirmação de uma candidatura da direita. Acho que à esquerda repetir-se esse espetáculo não seria certamente positivo", sublinha o secretário-geral do PS, em entrevista que será publicada amanhã na íntegra no jornal i.

A possibilidade de Maria de Belém Roseira, do PS, anunciar uma candidatura presidencial, mesmo depois de António Sampaio da Nóvoa já ter avançado e contar com o apoio de três ex-Presidentes da República (Ramalho Eanes, Mário Soares e Jorge Sampaio), tem adiado a decisão final dos socialistas. Ao i, António Costa garantiu que "o PS pronunciar-se-á no momento próprio" sobre a candidatura a Belém e recordou os mandatos de Eanes, Soares e Sampaio - os presidentes que, precisamente, manifestaram já apoio público a Sampaio da Nóvoa. "Há uma coisa que os portugueses sabem: todos os Presidentes da República que foram eleitos com o apoio do Partido Socialista foram presidentes que deixaram na memória dos portugueses um excelente exemplo do exercício do mandato".

Costa continua: "Estamos certos que na área política do Partido Socialista, militante do PS ou não militante do PS, haverá certamente uma boa personalidade com boas condições para disputar e vencer as eleições presidenciais, renovando e atualizando aquilo que foram os legados dos Presidentes da República apoiados pelo PS".

A decisão do secretário-geral dos socialistas em relação a Belém deverá ser tomada só depois das legislativas, marcadas para o próximo dia 4 de outubro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG