António Costa não quer Paulo Portas nos debates da campanha

PS recusa parceiros minoritários das coligações a participar nos debates e frente-a-frente na televisão. Reunião dos partidos com os três canais generalistas voltou a terminar em impasse.

À terceira reunião, o impasse mantém-se. O PS continua a rejeitar a propostas das televisões, para participar num frente-a-frente com Paulo Portas, e também recusa que os parceiros minoritários da coligação estejam presentes nos debates alargados.

O encontro entre os três canais generalistas (RTP, SIC e TVI) e os representantes dos partidos decorreu esta sexta-feira de manhã nas instalações da RTP, segundo o jornal Público, mas não houve qualquer cedência em relação ao que já tinha sido discutido na reunião anterior.

A primeira proposta das televisões deixava em aberto a presença de quatro ou seis candidaturas nos frente-a-frente e no debate com todos. Previa ainda a realização de três frente-a-frente entre António Costa e Pedro Passos Coelho, assim como a realização de debates a dois entre todas as candidaturas.

Porém, o PS só quer debates a quatro (um representante de cada coligação, outro do PS e um quarto do Bloco de Esquerda) argumentando que a lei da cobertura das campanhas eleitorais fala em candidaturas e programas políticos, e não em partidos. Na prática, significaria que Paulo Portas, do CDS-PP, coligado com o PSD, ou Heloísa Apolónia, dos Verdes, que correm coligados com o PCP, não estariam presentes nestes debates.

Mas o CDS-PP quer ser incluído nos debates, pelo que a RTP, SIC e TVI entregaram na quinta-feira, refere o jornal Público, uma proposta aos partidos em que Paulo Portas também estaria incluído neste pacote de três frente-a-frente. A proposta voltou a ser recusada pelo PS.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG