António Costa: isolar a Grécia "é ideia errada"

O secretário-geral do partido socialista considera que essa seria "uma ideia errada e perigosa".

António Costa defendeu esta quinta-feira, em Bruxelas, que a União Europeia não pode "diabolizar" a Grécia, nem deixar o país numa situação de "isolamento. O secretário-geral do partido socialista considera que essa seria "uma ideia errada e perigosa", por isso "com certeza" que seria capaz de subscrever a carta apresentada por 32 personalidades ao primeiro-ministro.

"Ideia de diabolizar a Grécia e de isolar a Grécia é uma ideia errada e perigosa", considerou António Costa, frisando que "não podemos esquecer que a Grécia é um país fundamental do ponto de vista geoestratégico, é um dos grandes pilares da Nato e que se encontra numa região onde a Europa não pode ignorar a sua enorme sensibilidade".

Para Costa, os países expostos a um programa de ajustamento devem poder aceder a um "programa de recuperação económica", que seria um "programa de fisioterapia que nos permita recuperar do trauma do ajustamento".

O secretário-geral do Partido socialista entende o governo tem caído "num isso sistemático" ao apoiar a posição alemã, já que a "austeridade fracassou do ponto de vista político e fracassou do ponto de vista económico".

Costa precisou que do "ponto de vista económico" a política de austeridade "gerou deflação e desemprego" e do "ponto de vista político só tem vindo a fortalecer os radicalismos", considerando que o que "há a fazer é mudar de política".

"A resposta imediata é (...) à crise social. Tem de ser um programa de recuperação económica, que nos permita enfrentar a necessidade de crescimento e a criação de emprego e a criação de condições de sustentabilidade para a gestão das nossas finanças públicas e para a sustentabilidade da própria dívida", defendeu o secretário-geral do PS, no final do encontro de lideres socialistas europeus, em Bruxelas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG