António Costa discorda da proposta para cobertura eleitoral

Líder do PS diz que tomou hoje conhecimento de "documento de trabalho" e que a bancada socialista "nunca apoiará qualquer solução legislativa que limite as liberdades de informar e ser informado"

O secretário-geral do PS veio dizer que "discorda da solução constante" da proposta de cobertura eleitoral, apresentada pelo PSD, PS e CDS, e que António Costa classifica de "documento de trabalho". "Para que não subsista qualquer dúvida quanto à posição do PS sobre a matéria deixou escrito", Costa afirma que "tem a garantia que o GP/PS [grupo parlamentar do PS] nunca apoiará qualquer solução legislativa que limite as liberdades de informar e ser informado".

Num comunicado enviado às redações, o líder socialista diz que só hoje "tomou conhecimento de um texto que, como já esclareceu a deputada [do PS] Inês de Medeiros, é um mero documento de trabalho interpartidário, que tem vindo a ser desenvolvido no âmbito da AR [Assembleia da República], sobre a cobertura jornalística das campanhas eleitorais".

Conhecida a vontade do PSD, PS e CDS em estabelecerem um visto prévio à previsão da cobertura da campanha feita pelos órgãos de comunicação social, os três partidos travaram agora essa intenção, falando numa versão preliminar do documento que foi tornada pública.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG