Manuel Alegre em Lisboa e Francisco Assis no Porto entram na campanha do PS

Conhecidos militantes socialistas entram em cena nos últimos dias de campanha, para discursar em comícios do partido. Além destes, também Sampaio da Nóvoa terá lugar a intervir em ações de campanha do PS nesta reta final.

DN/Lusa
Manuel Alegre critica escolhas do Governo sobre o plano de vacinação© Álvaro Isidoro/Global Imagens

O histórico militante socialista Manuel Alegre discursa na quinta-feira no comício de Lisboa do PS, enquanto o presidente do Conselho Económico e Social (CES), Francisco Assis, falará sexta-feira, no comício de encerramento da campanha, no Porto.

Fonte oficial da campanha do PS avançou também à agência Lusa que na noite desta quarta-feira, no comício de Almada, distrito de Setúbal, a novidade na lista de oradores será o professor universitário e ex-candidato presidencial Sampaio da Nóvoa.

Ainda no âmbito deste objetivo de concentração de votos dos eleitores de esquerda no PS, a direção de campanha socialista terá na quinta-feira, no comício de Lisboa, Manuel Alegre, escritor, antigo deputado, membro do Conselho de Estado e candidato nas eleições presidenciais de 2006 e 2011.

Ao longo das últimas décadas, Manuel Alegre tem sido um defensor de entendimentos políticos entre as diferentes forças de esquerda. Mas, com o fim da solução de Governo da "Geringonça" em outubro passado, o histórico socialista manifestou-se de forma muito crítica em relação à atuação do Bloco de Esquerda e do PCP.

Manuel Alegre também apareceu a intervir no período de pré-campanha, escrevendo no jornal Público um artigo muito crítico em relação à possibilidade admitida pelo secretário-geral do PS, António Costa, de contar com o PAN para uma maioria de Governo.

Dos nomes dos oradores convidados para os últimos comícios do PS, a maior surpresa é a presença do antigo líder parlamentar socialista Francisco Assis, que, ao contrário de Alegre, se opôs a solução de Governo criada por António Costa em novembro de 2015, com suporte parlamentar do Bloco de Esquerda, PCP e PEV.

Com o fim da "Geringonça", Francisco Assis, atual presidente do CES, disponibilizou-se para integrar a lista de candidatos a deputados pelo PS nestas eleições legislativas, mas não foi convidado pela direção de António Costa.

Do ponto de vista político, Francisco Assis tem defendido um acordo de regime entre o PS e o PSD, embora não necessariamente sob a forma de "Bloco Central" de Governo.