Albuquerque elogia Jardim mas promete pontes com oposição

Novo líder do Governo Regional tomou posse. Reconheceu méritos ao antecessor e recuperou figuras do jardinismo. Às restantes forças políticas prometeu tolerância e liberdade.

Trinta e nove anos depois, o jardinismo chegou ontem ao fim com a tomada de posse de Miguel Albuquerque como novo presidente do Governo Regional da Madeira. Na cerimónia, que decorreu no Salão Nobre do Parlamento madeirense, o novo líder do executivo insular deu fortes sinais de rutura em relação ao modelo e ao estilo de governação do antecessor, apesar dos elogios que também deixou ao legado de Alberto João Jardim.

"A Madeira de hoje nada tem a ver com a Madeira do passado", disse Albuquerque, que recuou às décadas de 1960 e 1970 para lembrar os tempos de "estratificação social, analfabetismo e pobreza ancestral". De caminho - e sem deixar de apontar "erros de percurso" -, felicitou Jardim pelo "inegável papel histórico na implantação da autonomia política e no desenvolvimento da região".

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG