"Acho anormal o mesmo tipo de fraude se repetir"

O ministro da Saúde, Paulo Macedo, considerou hoje "anormal o mesmo tipo de fraude se repetir", comentando a centena de processos instaurados pela Inspeção-Geral das Atividades em Saúde (IGAS) nos últimos três anos.

Instigado a comentar a centena de processos instaurados pela IGAS nos últimos três anos, que dá conta de casos de fraude, corrupção e infrações conexas, Paulo Macedo achou "normal haver processos em curso".

"O que acho anormal é o mesmo tipo de fraude se repetir", afirmou.

O relatório da IGAS dá conta de irregulariedades como a apropriação indevida de dinheiros públicos (36 por cento), a eventual fraude na prescrição e aviamento de medicamentos (18 por cento) e irregularidades financeiras na aquisição de serviços (12 por cento).

"Os relatórios, como temos conhecimento das diferentes áreas de ação, pois vão acumulando processos de inquérito, resultados de ações. O que temos de esperar, e exigir, e tomar ações é para esses fatores serem cada vez menores", sublinhou o ministro.

Paulo Macedo disse que todos estes processos estão a ser "ou investigados ou comunicados".

Quanto à investigação de fraude no Sistema Nacional de Saúde (SNS), o ministro avançou que, "nestes três meses, foram desativadas e paradas duas fraudes pelo Ministério Público e Polícia Judiciária, no valor de muitas dezenas de milhões de euros".

"São valores muito significativos em que o Estado e o SNS [são] lesados", considerou.

Paulo Macedo afirmou que o Ministério Público tem em mãos "um conjunto grande de comunicações e processos", aos quais "dará consequência".

Exclusivos