Acabou o bailinho de Jardim. Madeira elege novo líder 37 anos depois

Mais de 256 mil madeirenses podem ir às urnas para escolher o sucessor de Alberto João Jardim. São 16 os partidos que se candidatam após quase quatro décadas de maiorias absolutas do PSD

No café Apolo, palco preferencial das conspirações políticas na Madeira, ainda não se veem as caras novas prometidas. Alberto João Jardim ainda mora na Quinta da Vigia, tal como seu gato Dama, mas este domingo marca o fim das nove vidas políticas do histórico líder do arquipélago. Os madeirenses vão hoje a votos após 37 anos de eleições em que Jardim conquistou nove maiorias absolutas.

Nas eleições deste domingo, o xadrez político é tão sui generis que concorrem 16 partidos, três coligações, os eleitores podem escolher entre 11 forças, mas o boletim de voto tem 12 quadradinhos. Confuso? Vamos por partes. Ou melhor, por partidos. Para começar, o boletim de voto tem um partido cuja candidatura não foi aceite: o Partido Democrático Republicano, de Marinho e Pinto. Mesmo sem PDR sobram 16 forças políticas que vão a votos no domingo, mas apenas metade dos partidos concorrem sozinhos.

Leia mais pormenores na edição impressa ou no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG