"A margem de manobra é estreitíssima", diz ministra das Finanças

A ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, deixou hoje um recado aos partidos no parlamento, avisando que a margem de manobra para mudanças no Orçamento "é estreitíssima" e, como tal, só podem ser feitas mudanças sem impacto orçamental.

"A margem de manobra é estreitíssima. Ou seja, as propostas de alteração que surjam no âmbito da discussão que hoje lançamos, e que o Governo recebe com abertura, terão de ter no seu conjunto um impacto global neutro. Só assim poderemos assegurar que os objetivos essenciais do orçamento se mantêm", afirmou a governante.

Maria Luís Albuquerque fazia uma intervenção no parlamento naquele que é o primeiro dia de debate sobre a proposta de Orçamento do Estado para 2014, e apenas poucos dias após vários deputados, incluindo do PSD, terem mostrado vontade de fazer alterações no documento para minimizar alguns dos cortes aplicados.

No entanto, a governante deixou a garantia que só mesmo com medidas para compensar o impacto orçamental dessas medidas é que irá permitir essas alterações, ou mesmo se as propostas não tiverem impacto nas contas públicas do próximo ano.

Nas palavras de Maria Luís Albuquerque, "o esforço exigido na proposta do Oé o esforço adequado", para assegurar o cumprimento do acordo com a 'troika' e das novas regras orçamentais europeias.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG