Aguiar-Branco critica António Costa sobre estaleiros de Viana

José Pedro Aguiar-Branco, ex-ministro da Defesa, não foi convidado para a cerimónia e deixou recado no Facebook, onde enaltece a sua decisão sobre os estaleiros de Viana do Castelo.

Fernanda Gonçalves Tadeu, mulher do primeiro-ministro António Costa, foi nesta sexta-feira madrinha do navio-patrulha oceânico (NPO) Sines, construído pela West Sea, subconcessionária dos extintos Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC). José Pedro Aguiar-Branco, ex-ministro da Defesa Nacional, não foi convidado e não deixou de comentar no... Facebook.

Na cerimónia, além do primeiro-ministro, estiveram também presentes os ministros da Defesa Nacional, José Azeredo Lopes, e do Mar, Ana Paula Vitorino, do chefe do Estado-Maior da Armada, almirante António Mendes Calado, entre outros, tendo Carlos Martins, presidente do grupo Martifer, que detém a empresa West Sea, feito questão de enaltecer a capacidade dos estaleiros na sequência desta construção.

"Demonstra a capacidade e o empenho que foi posto pela West Sea na construção destes dois navios-patrulha e também a capacidade da engenharia e da indústria portuguesas na construção de embarcações de grande complexidade técnica e tecnológica", disse.

Curiosamente, no dia desta cerimónia, José Pedro Aguiar-Branco, ex-ministro da Defesa Nacional, publicou na sua conta de Facebook um comentário no qual puxa para si os louros da criação da subconcessionária dos estaleiros de Viana do Castelo. "Hoje, do socialista autarca de Viana do Castelo ao primeiro-ministro e a sua mulher, passando pelo neossocialista ministro da Defesa, vão estar todos a aplaudir o que tanto criticaram, nos últimos anos", escreveu, acrescentando que "valeu a pena lutar pela solução" que acreditou "ser a melhor para o país e para a região". "Não há melhor sensação do que a da consciência tranquila e do dever cumprido", rematou o ex-ministro que não foi convidado para a cerimónia.

O presidente do grupo Martifer revelou que a West Sea está a construir seis navios e emprega diariamente mais de mil trabalhadores, acrescentando que a empresa "conta atualmente com 345 trabalhadores, dos quais 155 dos extintos ENVC".

"Há a registar uma média diária de cerca de 700 trabalhadores indiretos de subempreiteiros adstritos à atividade de construção, manutenção e reparação naval, fazendo dos estaleiros de Viana do Castelo uma das mais importantes unidades do setor na Península Ibérica", adiantou.

Carlos Martins referiu ainda que estão em construção naqueles estaleiros "uma draga, a entregar este mês, o navio oceânico World Explorer, que estará concluído no final do ano, o NOP Setúbal, que também deverá estar pronto no final deste ano, e três navios-hotel para o Douro, com conclusão no primeiro trimestre de 2019". E revelou também que, em três anos, foram "reparados ou reconvertidos 158 navios".

Carlos Martins realçou que, desde 2014, ano em que o grupo Martifer assumiu aqueles estaleiros navais, "foram investidos oito milhões de euros" e apontou dois novos investimentos.

A dragagem, em parceria com a Administração do Porto do Douro e Leixões e Viana do Castelo (APDL), do canal de acesso que vai permitir que navios de maior calado possam ser construídos e operar nestes estaleiros. A intervenção, acrescentou, está orçada em 15 milhões de euros e será "integralmente suportada pela West Sea".

O presidente do grupo Martifer anunciou ainda a construção de "uma nova doca de 200 metros de comprimento, num investimento de 11 milhões de euros", sublinhou que os estaleiros de Viana do Castelo "são hoje uma referência mundial na indústria da construção naval" e referiu que o navio NPO Sines "será uma bandeira nacional no mundo".

"Estes navios demonstram a capacidade da West Sea e da Edisoft em fazer face às necessidades da Marinha portuguesa, cumprindo os prazos estabelecidos no caderno de encargos, bem como os requisitos de custo, qualidade e dentro das expectativas e necessidades deste projeto", afirmou.

O NPO Sines integra o efetivo dos navios da Marinha desde 6 de julho e é o terceiro navio da classe Viana do Castelo, todos construídos em Portugal. O NRP Sines juntou-se ao NRP Viana do Castelo e NRP Figueira da Foz, atualmente no ativo. O navio é comandado pela capitão-tenente Mónica Martins, de 42 anos, a primeira mulher piloto de helicópteros a comandar um navio, e tem uma guarnição de 44 elementos.

A entrega do NPO Setúbal, atualmente em construção naqueles estaleiros, está prevista para janeiro de 2019.

Exclusivos

Premium

Livro

Antes delas... ninguém: mulheres que desafiaram o domínio masculino

As Primeiras - Pioneiras Portuguesas num Mundo de Homens é o livro com as biografias de 59 mulheres que se atreveram a entrar nas profissões só de homens. O DN desvenda-lhe aqui oito dessas histórias, da barrista Rosa Ramalho à calceteira Lurdes Baptista ou às 'Seis Marias' enfermeiras-paraqueditas, entre outras