Quarto de hotel com vista sobre o mundo

A sugestão de leitura para o mês de agosto de Ana Rita Bessa, deputada do CDS, é Um Gentleman em Moscovo, de Amor Towles

A deputada do CDS Ana Rita Bessa sugere para este mês de agosto a leitura do livro Um Gentleman em Moscovo, de Amor Towles. "Li-o há pouco, fiquei mesmo agradada e tenho-o recomendado a muita gente para o ler nas férias." É a história protagonizada e narrada por um conde russo Aleksandr Ilitch Rostov, que tem um petit nom que é Sasha. "No princípio da revolução russa é chamado a um comité, que fazia a filtragem desta aristocracia e depois lhe dava um destino de forma um pouco aleatória. Uns iam para a Sibéria, Sasha teve apesar de tudo sorte e ficou condenado a passar o resto da vida num hotel, o Metropol, que existia mesmo, ao pé dos bairros dos teatros, do Bolshoi."

Sasha é condenado por ser aristocrata e poeta: tinha escrito um poema instigador contra os revolucionários. "E ele com imensa elegância comenta que não tem nada a ver com isso, que aquele poema precisava de ser escrito e apanhou-o a ele sentado à secretária um dia", regista Ana Rita. Sasha fica preso nesse hotel, tem que viver no sótão, numa história que vai de 1922 a 1954. "Estabelece-se um paralelismo muito engraçado entre a vida dele, naquelas quatro paredes, as pessoas que vão chegando, o que se vai passando no mundo, do que ele se apercebe da própria estratificação da sociedade, e há um paralelismo com a história da União Soviética - e uma cruza-se com a outra."

Acaba por ser "um romance típico do intrincado de relações" que ele tem com o cozinheiro, o gerente do hotel, a empregada de quarto, os hóspedes que passam ao longo dos tempos, as atrizes de propaganda, os primeiros correspondentes americanos, com "a história paralela da Rússia e da sua transformação em União Soviética" e a relação desta com o mundo, "tudo visto a partir do quarto de hotel".

No final, Ana Rita ficou com a sensação de ter vivido "dentro da cabeça do dito Sasha", que viu "tudo através da lente dele, as coisas que nos obrigam a pensar". "Quando o livro acaba e acaba de uma maneira um pouco surpreendente, parece que te despediste de um amigo forte, que te fez pensar em muitas coisas, com quem tiveste discernimentos e decisões sobre pessoas", sintetiza.

Um Gentleman em Moscovo
Amor Towles
Editora D. Quixote
543 páginas
PVP: 24,90 euros

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG