PS quer procurar consenso à esquerda e considera que chumbo seria incompreensível

O presidente do PS afirmou que os socialistas querem procurar um consenso sobre o Orçamento para 2020 com os partidos à sua esquerda e o PAN, e considerou que um chumbo seria incompreensível para os portugueses.

"O PS entende que o diálogo à volta da proposta de Orçamento do Estado deve ser um diálogo centrado nos nossos parceiros tradicionais, e esses parceiros são o PCP, o BE, o PEV, o PAN e, agora, o Livre. E é com esses partidos que privilegiaremos o diálogo e com eles procuraremos concertar posições", declarou Carlos César aos jornalistas, no Palácio de Belém, em Lisboa.

"Eu creio que seria incompreensível do ponto de vista da opinião dos portugueses e da avaliação dos portugueses que esses partidos procedessem a um chumbo do Orçamento do Estado e lançassem o país na maior das instabilidades, de forma precipitada e sem justificação", considerou o ex-líder parlamentar do PS.

Questionado sobre o facto de, segundo PCP e BE, o Orçamento do Estado para 2020 não contemplar as suas propostas, Carlos César argumentou que primeiro "foi o tempo de o Governo preparar uma proposta", que reflete essencialmente as suas opiniões e o programa do PS, e que "agora é o tempo de o Governo confrontar com a opinião de outros partidos essa proposta e procurar um consenso".

"Foi apresentada agora a proposta de Orçamento do Estado e estamos imediatamente disponíveis para discutir com todos esses partidos aquilo que for entendido adequado. E já o fizemos, de resto, de forma mais ou menos informal", reforçou.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG