PCP. Comité central aprova lista e promete condições sanitárias no congresso

O PCP aprovou este domingo a lista do Comité Central a ser votada no congresso do próximo fim de semana e prometeu "condições sanitárias" para a reunião, em Loures.

Em comunicado, o gabinete de imprensa do PCP transmitiu o resultado da reunião de dois dias, em Lisboa, que terminou este domingo (22), tendo sido "aprovada a proposta de resolução política a submeter ao XXI Congresso, assim como a lista de composição do novo comité central a ser eleito".

A lista só será divulgada, na íntegra, na edição de quinta-feira do Avante, jornal oficial do partido. O congresso terá lugar de 27 a 29 de novembro, em Loures.

O Comité Central "sublinhou a determinação do PCP em realizar o XXI congresso com todas as necessárias medidas de proteção sanitárias que a atual situação [de epidemia] exige" e prometeu que será "um momento de reflexão e luta onde se discutem e constroem as soluções para o país e as respostas necessárias" para enfrentar a crise causada pela pandemia.

Numa entrevista à Lusa, Jerónimo de Sousa disse que o Comité Central do PCP será mais pequeno, prometendo renovação e rejuvenescimento e mais mulheres.

Segundo recordou, tradicionalmente este órgão tem "uma ampla maioria de operários e empregados, com uma forte componente operária".

O congresso do PCP, com metade dos delegados, está envolto em polémica por acontecer em pleno estado de emergência devido ao surto epidémico.

PSD e CDS, por exemplo, criticaram os comunistas e o Governo por não impedirem a sua realização.

No sábado, o primeiro-ministro, António Costa, escusou-se a comentar a realização de reuniões de partidos como o congresso do PCP, defendendo que a lei do estado de emergência "é clara e taxativa" ao impedir que sejam proibidas, dissolvidas ou submetidas a autorização.

O regime legal do estado de sítio e do estado de emergência estabelece que "as reuniões dos órgãos estatutários dos partidos políticos, sindicatos e associações profissionais não serão em caso algum proibidas, dissolvidas ou submetidas a autorização prévia".

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG