Orçamento arranca na especialidade. Com protesto de professores à porta

Ministro da Educação é o primeiro a ser ouvido na apreciação da proposta para 2019. Fenprof marcou concentração para São Bento

O ministro da Educação é o primeiro governante a ser ouvido no Parlamento durante a apreciação na especialidade do Orçamento do Estado para 2019 (OE2019), numa maratona de audições que terminam a 16 de novembro, com o ministro das Finanças, Mário Centeno. Fora do edifício, os professores prometem fazer-se ouvir numa concentração e um plenário de protesto.

Tiago Brandão Rodrigues terá uma audição conjunta da Comissão de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa e da Comissão de Educação e Ciência e Comissão da Cultura Comunicação, por tutelar a pasta da Educação, da Juventude e do Desporto.

No exterior da Assembleia da República, a Federação Nacional de Professores (Fenprof) organiza um protesto por considerar que a proposta do OE 2019 "passa ao lado da educação e esquece os professores", sublinhando que do conjunto de 13 propostas que apresentou para serem consideradas em sede de OE 2019, só uma - a gratuitidade dos manuais escolares para toda a escolaridade obrigatória - foi contemplada.

Para a Fenprof, "a não ser profundamente alterada, esta proposta não serve a Educação, pois continua sem dar resposta aos problemas existentes e a desrespeitar os profissionais do setor".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG