PCP confirma voto a favor do Orçamento na generalidade, mas quer "novos avanços" no IRS

O PCP confirmou este domingo, em reunião do Comité Central, que irá votar favoravelmente a proposta de Orçamento do Estado para 2019, mas considera que o documento é "limitado e insuficiente" e promete bater-se por "novos avanços" no IRS.

Esta posição foi transmitida aos jornalistas pelo secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, em conferência de imprensa, na sede nacional deste partido, em Lisboa.

Os votos favoráveis do PCP asseguram a aprovação da proposta de Orçamento do Estado para 2019 na generalidade. BE e Partido Ecologista "Os Verdes" já tinham anunciado que iriam votar a favor do documento na votação marcada para terça-feira.

"O PCP intervirá para que na especialidade se introduzam alterações que visem, entre outras, novos avanços no plano do IRS, prosseguindo o caminho iniciado com a eliminação da sobretaxa, o aumento do mínimo de existência e o alargamento do número de escalões", afirmou Jerónimo de Sousa.

Ao mesmo tempo, o PCP irá bater-se "para que se vá mais longe na taxação do grande capital, seja no grande património imobiliário de elevado valor, seja por via de novos passos da derrama estadual", acrescentou.

Exclusivos

Premium

Alentejo

Clínicos gerais mantêm a urgência de pediatria aberta. "É como ir ao mecânico ali à igreja"

No hospital de Santiago do Cacém só há um pediatra no quadro e em idade de reforma. As urgências são asseguradas por este, um tarefeiro, clínicos gerais e médicos sem especialidade. Quando não estão, os doentes têm de fazer cem quilómetros para se dirigirem a outra unidade de saúde. O Alentejo é a região do país com menos pediatras, 38, segundo dados do ministério da Saúde, que desde o início do ano já gastou mais de 800 mil euros em tarefeiros para a pediatria.