Novo Chefe do Estado-Maior do Exército já tomou posse

No Palácio de Belém, Marcelo Rebelo de Sousa deu posse a José Nunes da Fonseca

O até agora segundo comandante-geral da GNR sucede a Rovisco Duarte, que esteve presente, já à civil, na cerimónia de tomada de posse do novo Chefe do Estado-Maior do Exército (CEME).

Nunes da Fonseca foi empossado no Palácio de Belém pelo Presidente da República e Comandante Supremo das Forças Armadas, Marcelo Rebelo de Sousa, numa cerimónia que teve a presença também do primeiro-ministro António Costa, do novo ministro da Defesa, Gomes Cravinho, e do ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita.

Nunes da Fonseca - de Engenharia - nasceu em Mafra, em 1961, vem de uma família de militares e estudou no Instituto dos Pupilos do Exército, como os dois irmãos - um chegou a major-general (arma de Cavalaria) e o outro a coronel (Infantaria). O pai foi sargento. Licenciou-se em Engenharia, em 1979, na Academia Militar, sendo o primeiro aluno destacado do curso.

Esteve colocado na força especial da NATO para o Kosovo, como general-comandante da força logística, em 2011, e na força de estabilização da Aliança Atlântica para a Bósnia-Herzegovina, como oficial de operações, em 1998-1999, tendo ainda integrado o comando da Eurofor em Itália, como adjunto de operações de logística e chefe de secção de procedimentos operacionais.

O novo general CEME sucede a Rovisco Duarte, que se demitiu na sequência do caso do furto de armas nos paióis de Tancos - resignou na quarta-feira, invocando razões pessoais na carta enviada ao Presidente da República e alegando "circunstâncias políticas" em mensagem aos militares do Exército.

Esta sexta-feira, à saída da cerimónia da tomada de posse do seu sucessor, Rovisco Duarte escusou-se a responder aos jornalistas, dizendo apenas: "eu agora não vou prestar declarações".

Nunes da Fonseca é o terceiro titular do cargo nesta legislatura. Antes de Rovisco Duarte, já se tinha demitido o general Carlos Jerónimo, em abril de 2016, na sequência de uma polémica sobre a exclusão de alunos homossexuais no Colégio Militar.

A primeira cerimónia pública do general José Nunes da Fonseca como CEME deverá ser a do aniversário do Exército, que este ano se celebra em Guimarães, na próxima quarta-feira.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG