Marcelo diz que já herdou famílias no governo, mas garante "qualidade" das pessoas

O Presidente da República garante que a escolha de um casal e de pai e filha para o cargo de ministros é "pela qualidade das pessoas". Mas lembra que já herdou esta composição de governo do antecessor, Cavaco Silva.

"A situação é a mesma desde que tomei posse, já vinha do meu antecessor", justificou o Presidente da República quando questionado sobre o facto de existirem vários familiares no governo de António Costa, no caso o casal de ministros Eduardo Cabrita e Ana Paula Vitorino e o pai e filha, José Vieira da Silva e Mariana. Apesar de se dizer herdeiro desta invulgar composição governamental, Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou que foi sempre o "mérito" que prevaleceu na escolha dos ministros.

"A escolha que foi proposta pelo primeiro-ministro e aceite pelo Presidente da República foi sempre baseada no reconhecimento das pessoas. Aceito como bom ao fim destes anos em que pude testemunhar a qualidade das pessoas", afirmou o Presidente da República, à margem de uma cerimónia de homenagem à virologista Odete Ferreira, no Museu da Farmácia.

O líder do PSD foi uma das vozes críticas quanto ao facto de existirem vários familiares sentados à mesa do Conselho de Ministros: "Pela primeira vez na história de Portugal, senta-se marido e mulher e agora pai e filha".

Rui Rio referia-se à antiga secretária de Estado Adjunta do primeiro-ministro, Mariana Vieira da Silva, que tomou posse como ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, e que é filha do ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social. O líder do PSD aludia ainda ao casal formado pelo ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, e pela ministra do Mar, Ana Paula Vitorino.

Exclusivos