PSD não se opõe à recondução de Joana Marques Vidal na PGR

Segundo Rui Rio, caso a escolha seja de outra, esta deve ser capaz de reunir um "consenso nacional".

Rui Rio revelou esta tarde que o PSD não se opõe à recondução de Joana Marques Vidal no lugar de Procuradora-Geral da República, caso o Governo assim o entenda.

O líder dos sociais-democratas garantiu ainda, que "se o Governo entender que deve propor ao senhor Presidente da República a recondução de Joana Marques Vidal, o PSD acompanhará essa indicação e não terá rigorosamente nada a opor".

Caso o Governo de António Costa opte por outra pessoa para ocupar o cargo, então, essa individualidade deve ser encontrada "fora do Ministério Público". E tem de: "Garantir isenção, ter conhecimentos, responsabilidade e currículo suficientes para que exista um consenso nacional."

A escolha do próximo PGR (ou manutenção da atual), uma decisão que envolve o Governo e o Presidente da República deverá estar para breve, segundo avançou a ministra da Justiça. Joana Marques Vidal​​ termina o mandato de seis anos a 12 de outubro.

Ler mais

Premium

Henrique Burnay

Isabel Moreira ou Churchill

Numa das muitas histórias que lhe são atribuídas, sem serem necessariamente verdadeiras, em resposta a um jovem deputado que, apontando para a bancada dos Trabalhistas, perguntou se era ali que se sentavam os seus inimigos, Churchill teria dito que não: "Ali sentam-se os nossos adversários, os nossos inimigos sentam-se aqui (do mesmo lado)." Verdadeira ou não, a história tem uma piada e duas lições. Depois de ler o que publicou no Expresso na semana passada, é evidente que a deputada Isabel Moreira não se teria rido de uma, nem percebido as outras duas.