PSD. Mercês Borges votou o Orçamento por Barreiras Duarte

Deputada social-democrata diz que já carregou no botão por vários colegas e que não é só no seu partido que isso acontece

Foi a deputada Maria das Mercês Borges que votou o Orçamento de Estado para 2019 por Feliciano Barreiras Duarte.

A parlamentar do PSD, coordenadora pelo partido na Comissão do Trabalho e Segurança Social, presidida pelo próprio Feliciano, registou o colega às 18:31 do passado 30 de outubro, cinco horas depois de este ter saído do Parlamento para acorrer a uma urgência hospitalar com o filho - avança o Observador.

À publicação online, Maria das Mercês Borges admitiu que "é possível ter carregado no botão" no momento em que foi verificado o quórum para a votação do OE na generalidade, o que leva o sistema a admitir imediatamente a presença do deputado que afinal não se encontrava. No entanto, a deputada social-democrata garante que não foi ela a fazer a entrada no computador com o login de Barreiras Duarte.

"Não consigo precisar se o registei, se carreguei ou não carreguei. Sei que ele saiu em pânico por causa do filho, totalmente desesperado, por isso posso ter carregado porque fazemos isso muitas vezes. Se quiserem pôr as imagens que mostram isso, coloquem, eu não vou dar uma conferência de imprensa como a outra deputada."

Ao referir outra deputada, Mercês Borges estava a falar de Emília Cerqueira, que assumiu publicamente ter sido ela a registar as falsas presenças do secretário-geral do PSD, José Silvano, em duas sessões plenárias da Assembleia da República.

A deputada Maria das Mercês Borges, eleita pelo círculo de Setúbal, afirma ao Observador que pode "ter carregado no botão porque a ideia que tinha era que Feliciano ia voltar. Não foi com nenhum instinto de maldade, não foi por vigarice". E acrescentou: "Que atire a primeira pedra quem não sabe que isto acontece". Disse ainda que já carregou no botão por vários colegas. "Isto não é só no PSD que acontece, é e todas as bancadas."

Fonte autorizada por Feliciano Barreiras Duarte, diz que o deputado não pediu a ninguém que votasse por ele. "Não teve qualquer vantagem pecuniária ou política por se ter ausentado, o seu voto ou ausência dele era irrelevante para o resultado final da votação, dado que havia disciplina de voto e o PSD votava em bloco. E já se dirigiu aos serviços do Parlamento pedindo para marcarem falta à votação e justificando as razões da ausência."

Feliciano Barreiras Duarte este presente na Assembleia da República desde o início da sessão parlamentar, às 10:00, mas saiu pouco depois das 13.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Viriato Soromenho Marques

Quem ameaça a União Europeia?

Em 2017, os gastos com a defesa nos países da União Europeia tiveram um aumento superior a 3% relativamente ao ano anterior. Mesmo em 2016, os gastos militares da UE totalizaram 200 mil milhões de euros (1,3% do PIB, ou o dobro do investimento em proteção ambiental). Em termos comparativos, e deixando de lado os EUA - que são de um outro planeta em matéria de defesa (o gasto dos EUA é superior à soma da despesa dos sete países que se lhe seguem) -, a despesa da UE em 2016 foi superior à da China (189 mil milhões de euros) e mais de três vezes a despesa da Rússia (60 mil milhões, valor, aliás, que em 2017 caiu 20%). O que significa então todo este alarido com a necessidade de aumentar o esforço na defesa europeia?