PS e PSD aprovaram alterações à Lei das Finanças Locais

Assembleia da República está a realizar as últimas votações em plenário da terceira sessão legislativa.

O parlamento aprovou em votação final global as alterações à Lei das Finanças Locais, com os votos favoráveis do PS e do PSD.

Com a abstenção da deputada socialista Helena Roseta, três deputados do PSD juntaram-se aos restantes partidos no voto contra alterações que transferem poderes para as autarquias.

O PCP qualificou o diploma como "pura irresponsabilidade" do PS e do PSD, que transfere competências para os municípios nas áreas da educação, saúde e cultura.

Cecília Meireles (CDS), numa declaração de voto, disse que o Parlamento "demite-se de ter voz ativa na descentralização".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Viriato Soromenho Marques

Quem ameaça a União Europeia?

Em 2017, os gastos com a defesa nos países da União Europeia tiveram um aumento superior a 3% relativamente ao ano anterior. Mesmo em 2016, os gastos militares da UE totalizaram 200 mil milhões de euros (1,3% do PIB, ou o dobro do investimento em proteção ambiental). Em termos comparativos, e deixando de lado os EUA - que são de um outro planeta em matéria de defesa (o gasto dos EUA é superior à soma da despesa dos sete países que se lhe seguem) -, a despesa da UE em 2016 foi superior à da China (189 mil milhões de euros) e mais de três vezes a despesa da Rússia (60 mil milhões, valor, aliás, que em 2017 caiu 20%). O que significa então todo este alarido com a necessidade de aumentar o esforço na defesa europeia?