Presidente da Câmara de Torres Vedras também quer redução dos passes

Depois de o presidente da câmara de Lisboa, Fernando Medina, também o autarca de Torres Vedras quer reduzir o preço dos passes dos transportes públicos

"A Câmara Municipal de Torres Vedras quer a redução do custo dos passes dos transportes públicos", afirma a autarquia.

O Governo fez saber que está a estudar a redução do preço dos passes dos transportes públicos em todo o país, depois de o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, ter defendido a descida do custo dos passes sociais na área metropolitana da capital e no Porto. Agora é o autarca de Torres Vedras, Carlos Bernardes que também defende a medida.

"Em causa está o trabalho desenvolvido entre a Comunidade Intermunicipal do Oeste - OesteCIM e a Área Metropolitana de Lisboa, com vista a que os utilizadores dos transportes públicos de passageiros usufruam das mesmas condições que os utilizadores de transportes das áreas metropolitanas", explica, em comunicado, a Câmara de Torres Vedras. O tema foi levado à reunião do executivo municipal esta terça-feira.

Governo quer reduzir preço dos passes dos transportes públicos em todo o país

"A medida visa a promoção da utilização dos transportes públicos em detrimento do uso de viaturas individuais", justifica a autarquia. Carlos Bernardes junta-se assim a Fernando Medina, que quer ver inscrito no próximo Orçamento de Estado um novo sistema de passes sociais com um custo máximo de 30 euros mensais dentro da cidade de Lisboa e 40 euros por mês para os 18 municípios da área metropolitana. Uma medida que defendeu em entrevista ao Expresso.

Dias depois, o ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, afirmou que o Governo está a estudar a possibilidade de descer o preço dos passes sociais em todo o país, uma medida. O governante afirmou ao Jornal de Negócios e ao Público que a medida pode custar ao Estado e às autarquias 95 milhões de euros.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

Diário de Notícias

A ditadura em Espanha

A manchete deste dia 19 de setembro de 1923 fazia-se de notícias do país vizinho: a ditadura em Espanha. "Primo de Rivera propõe-se governar três meses", noticiava o DN, acrescentando que, "findo esse prazo, verá se a opinião pública o anima a organizar ministério constitucional". Explicava este jornal então que "o partido conservador condena o movimento e protesta contra as acusações que lhe são feitas pelo ditador".