Por que falou Rio em alemão? O lado germânico do líder social-democrata

"Ich weiss nicht was Sie sagen". Em alemão, foi assim que Rui Rio respondeu aos jornalistas portugueses em Helsínquia sobre o caso de José Silvano. O líder do PSD também resolveu exercitar aquela língua quando se dirigiu na quarta-feira ao congresso do Partido Popular Europeu. Mas qual a ligação de Rio à Alemanha?

A ligação é simples. Rui Rio estudou no Colégio Alemão do Porto durante 14 anos, o que faz com que seja fluente naquela língua. Mas o líder social-democrata sabe perfeitamente que esse não é um idioma que a maioria dos portugueses, incluindo jornalistas, domine. Por isso quando respondeu "eu não sei o que diz" em alemão sobre o caso em que está envolvido o secretário-geral do partido quis impedir mais questões sobre o assunto.

Rio sempre fez gala em ter estudado no Colégio Alemão. Diz que lhe formatou a personalidade e modo como vê e age na política. Foi lá que fez as primeiras investidas contra o "Estado Novo e contra alguns exageros do próprio funcionamento do colégio", como contou ao Dinheiro Vivo em 2012.

"A educação alemã complementou a minha tendência para o rigor e para a disciplina, sendo que, ainda assim, tenho bastantes mais "costelas" portuguesas do que alemãs", disse na altura, admitindo que o facto de ter estudado naquele colégio impediu que viesse a ser comunista.

A decisão de ingressar num colégio alemão partiu do pai quando tinha apenas quatro anos, mas a decisão tinha um único propósito, que Rui Rio fosse um dia para a Alemanha. "O meu pai entendia que a Alemanha estava a dar sinais de poder vir a ser, em breve, uma potência económica em face da excecional recuperação do pós-guerra que estava a conseguir. Por outro lado, o regime português estava já muito desgastado e a isolar-se do mundo, adivinhando-se que Portugal (e Espanha) iriam começar a atrasar-se relativamente aos restantes países europeus", lembrou.

"A educação alemã complementou a minha tendência para o rigor e para a disciplina, sendo que, ainda assim, tenho bastantes mais "costelas" portuguesas do que alemãs"

Em março deste ano, Rui Rio participou na primeira cimeira do PPE, onde se reuniu com a chanceler Angela Merkel. E falaram em que língua? Claro que em alemão. A troca de impressões no mesmo idioma foi apontado na altura como uma mais-valia para na aproximação à líder mais influente na União Europeia.

Na mesma altura, o presidente do PSD recebeu na sede nacional do partido o embaixador alemão em Portugal, Christof Weil. O diploma explicou o que o levou até à São Caetano à Lapa. "O que me trouxe aqui, hoje, foi ter uma conversa com o novo líder do partido mais importante da oposição que, além disso, frequentou o Colégio Alemão do Porto", apontou o representante alemão em Portugal, notando a facilidade de comunicação com o líder do PSD.

Na quarta-feira, em Helsínquia, no congresso do PPE, o líder social-democrata também deve ter considerado que falar em alemão em vez de português o distinguia dos restantes líder dos partidos que integram aquela família política de centro-direita. Sendo que a maioria falou em inglês ou na sua língua materna, como foi o caso do espanhol.

Ler mais

Exclusivos