PJ faz buscas a presidente da ADSE

Carlos Liberato Batista é investigado por suspeitas de corrupção e está demissionário desde abril

A Polícia Judiciária realizou buscas no gabinete e na residência do presidente demissionário da ADSE, Carlos Liberato Batista, no âmbito de uma investigação a crimes de corrupção, noticia a revista Sábado.

As suspeitas resultam de uma denúncia que chegou às autoridades e que levou a Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ a realizar, segunda-feira, as diligências, sem tenha, de acordo com a Sábado, constituído arguido o dirigente do sistema de saúde dos funcionários públicos.

Em causa estarão suspeitas sobre a existência de contrapartidas, pagas de forma encoberta, para contratos de convenções entre a ADSE e clínicas privadas. Liberato Batista demitiu-se em abril quando a TVI emitiu uma reportagem sobre irregularidades detetadas numa auditoria à sua gestão na Associação de Cuidados de Saúde da antiga Portugal Telecom.

A auditoria referia a existência de situações graves como a criação de empresas fantasma para receber por serviços nunca prestadas.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Geopolítica

5 anos. A Crimeia é russa mesmo que Ocidente não goste

Em março de 2014, no auge da rebelião na Ucrânia que derrubou o regime pró-russo de Viktor Ianukovitch, forças russas ocupavam a Crimeia e Moscovo decretava a 18 a anexação da península e a sua plena integração na Federação Russa. Era o início de uma crise que, cinco anos depois, continua a envenenar as relações entre a Rússia e o Ocidente.