Gala solidária dos jovens advogados homenageia Sampaio mas não esquece problemas

Custos do acesso à profissão, comparticipações para a Caixa de Previdência ou a entrada de terceiros em áreas que eram exclusivos dos advogados são questões que preocupam ANJAP, que esta sexta-feira vai distinguir antigo presidente da República

Um encontro de advogados de várias gerações com diferentes formas de praticar a advocacia onde os momentos altos vão ser a homenagem ao antigo presidente da República Jorge Sampaio e a entrega do prémio Solidário à Associação Portuguesa de Apoio à Vítima.

Este ó objetivo da I Gala da Associação Nacional dos Jovens Advogados Portugueses que vai ter lugar esta sexta-feira (dia 21) a partir das 20.00, no Pavilhão Carlos Lopes (Lisboa), e onde se pretende destacar o trabalho de Jorge Sampaio como advogado "mas também a nível social e político", como adiantou ao DN José Costa Pinto.

Tendo como mote "O Futuro da Advocacia em Portugal", este encontro pretende ter "um cariz solidário e que quer marcar a reentré da comunidade jurídica em geral e da advocacia em particular".

Sem, todavia, esquecer os problemas que enfrentam os jovens advogados - aqueles com menos de 15 anos de profissão.

"Nós preferimos sempre não falar em 'problemas', 'entraves' ou 'dificuldades', mas sim em desafios. O maior dos desafios dos jovens advogados é o de se afirmarem numa profissão cuja área de ação evolui em sentido contrário ao número de profissionais que a integram. A definição e defesa de um âmbito material de atuação exclusiva dos advogados é um dos desafios mais importantes que temos coletivamente nos nossos dias, a invasão por terceiros das áreas de atuação dos advogados é uma das matérias mais urgentes que tem que ser resolvida", adiantou.

Além do facto de existirem cada vez mais profissões a "invadir" terreno que os advogados consideram seus há outros temas que preocupam quem está à pouco tempo na advocacia, como reconhece José Costa Pinto. "As regras de estágio, a regulação do exercício de advocacia, os custos de acesso e permanência elevados (estágio, instalação, quotas e de comparticipações para a Caixa de Previdência)", são exemplos de questões que os advogados mais jovens querem ver discutidas.

Apesar destas questões, o presidente da ANJAP prefere ver o lado positivo das situações: "Temos, porém, de ter coragem de enfrentar estes desafios, com trabalho, visão e com os valores éticos que referi. Diria, para terminar que, como tive oportunidade de referir noutra ocasião, não vale a pena temer o futuro, temos é que o criar à nossa imagem e dimensão."

É por este lado positivo que se rege a gala de hoje - que tem o apoio do Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa e contará com a presença da ministra da Justiça, Francisca Van Dunem - ao homenagear Jorge Sampaio e distinguir o trabalho da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima.

Exclusivos