Exército celebra aniversário em Guimarães

Comemorações do Dia do Exército vão realizar-se este ano na cidade que está associada à fundação da nacionalidade

A Cidade Berço acolhe este ano as comemorações oficiais do Dia do Exército, interrompidas em 2017 devido à tragédia dos incêndios florestais, soube esta quinta-feira o DN.

Embora o Dia do Exército se celebre anualmente a 24 de outubro, a cerimónia militar deste ano vai realizar-se no dia 28 por ser domingo e no Campo de São Mamede.

O evento, que evoca a tomada de Lisboa pelas tropas de D. Afonso Henriques - Patrono do Exército - em 1147, não foi celebrado em 2017 devido ao envolvimento do ramo no combate aos fogos florestais.

Guimarães era a cidade escolhida para as cerimónias de 2017, pelo que o Exército manteve o local para este ano.

Como é habitual, as comemorações vão abranger essa semana e incluem demonstrações militares e atividades culturais, numa perspetiva de mostrar as capacidades do Exército e o que faz bem como, ainda, servir como elemento de atração de mais candidatos para as fileiras.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

Islamofobia e cristianofobia

1. Não há dúvida de que a visita do Papa Francisco aos Emirados Árabes Unidos de 3 a 5 deste mês constituiu uma visita para a história, como aqui procurei mostrar na semana passada. O próprio Francisco caracterizou a sua viagem como "uma nova página no diálogo entre cristianismo e islão". É preciso ler e estudar o "Documento sobre a fraternidade humana", então assinado por ele e pelo grande imã de Al-Azhar. Também foi a primeira vez que um Papa celebrou missa para 150 mil cristãos na Península Arábica, berço do islão, num espaço público.

Premium

Adriano Moreira

Uma ameaça à cidadania

A conquista ocidental, que com ela procurou ocidentalizar o mundo em que agora crescem os emergentes que parecem desenhar-lhe o outono, do modelo democrático-liberal, no qual a cidadania implica o dever de votar, escolhendo entre propostas claras a que lhe parece mais adequada para servir o interesse comum, nacional e internacional, tem sofrido fragilidades que vão para além da reforma do sistema porque vão no sentido de o substituir. Não há muitas décadas, a última foi a da lembrança que deixou rasto na Segunda Guerra Mundial, pelo que a ameaça regressa a várias latitudes.