Europeias: Nuno Melo defende que seja retirada condecoração a Berardo

Cabeça de lista do CDS às eleições Europeias critica a ligeireza com que Presidentes da República concedem condecorações

Nuno Melo criticou esta noite a "ligeireza" com que os Presidentes da República concedem condecorações, defendendo que a condecoração atribuída a Joe Berardo deveria ser retirada, porque "não merece ser comendador de coisa nenhuma".

Num jantar com militantes em Rio Maior, Santarém, o cabeça de lista do CDS às eleições Europeias, fez um discurso com muita política nacional, e com menos temas europeus, em que confessou sentir-se "envergonhado, enquanto português", com a condecoração de Berardo, que, na sexta-feira, no parlamento, disse não ter dívidas a bancos.

Sugiro realmente que se medite sobre a ligeireza com que se condecoram pessoas em Portugal e, desde logo, que se reavalie esta condecoração a Joe Berardo. Quem pede milhões a bancos e depois, enquanto se ri, diz que não deve nada, ao mesmo tempo que os contribuintes em dificuldade pagam, não merece ser comendador de coisa nenhuma", afirmou

"Não merece ser comendador de coisa nenhuma", repetiu, depois de dar os exemplos de ex-presidente da PT Zeinal Bava, Armando Vara, antigo administrador da Caixa Geral de Depósitos, Camilo Mortágua e Joe Berardo.

Estas condecorações foram decididas, em momentos diferentes, pelos ex-Presidentes Jorge Sampaio e Cavaco Silva.

Zeinal Bava, com a medalha do mérito comercial, provou, segundo Melo, que "destruir uma joia da coroa, a PT, compensa".

Ler mais

Exclusivos