Presidente do Turismo do Norte detido por suspeitas de corrupção

Três dirigentes da entidade pública e dois empresários foram detidos pela Polícia Judiciária por suspeitas de corrupção, participação económica em negócio e tráfico de influências

O presidente do Turismo do Norte, Melchior Moreira, dois outros dirigentes da mesma entidade e dois empresários foram hoje detidos pela Diretoria do Norte da Polícia Judiciária, por suspeitas de corrupção, tráfico de influências e participação económica em negócio.

Melchior Moreira lidera a Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal desde 2008, foi reeleito em junho passado e já foi deputado na Assembleia da República, eleito pelo PSD. Natural de Lamego, Moreira, 54 anos, já foi também vereador na Câmara de Lamego. Os outros dirigentes do turismo detidos são elementos do Departamento Operacional e da Direção do Núcleo Financeiro e Jurídico. Os empresários são da Maia e de Viseu.

Segundo a PJ, a Operação Éter investiga "a presumível prática reiterada e continuada da viciação de procedimentos de contratação pública, cujos valores ascendem a vários milhões de euros".

"A investigação, centrada na atividade da uma pessoa coletiva pública, determinou a existência de um esquema generalizado, mediante a atuação concertada de quadros dirigentes, de viciação fraudulenta de procedimentos concursais e de ajuste direto com o desiderato de favorecer primacialmente grupos de empresas, contratação de recursos humanos e utilização de meios públicos com vista à satisfação de interesses de natureza particular", esclarece o comunicado da PJ.

Foram realizadas 11 buscas, domiciliárias e não domiciliárias, nas regiões de Porto, Gaia, Matosinhos, Lamego, Viseu e Viana do Castelo e estiveram envolvidos 50 elementos da Polícia Judiciária, incluindo inspetores, peritos informáticos e peritos financeiros e contabilísticos.

A operação realiza-se após ter sido "consolidada a recolha de muitos elementos de prova", adiantou ao DN fonte ligada à investigação, que admite a possibilidade de serem constituídos mais arguidos no processo. Os dois empresários detidos terão beneficiado do esquema e representam sociedades distintas.

Este processo já tinha sido iniciado há meses, com uma série de buscas a serem efetuadas em junho passado. Na altura, além das instalações do Turismo do Porto e Norte, foram alvo de buscas as sedes do Sporting de Braga e do Vitória de Guimarães, assim como a Câmara de Viseu. A Procuradoria-Geral Distrital do Porto indicou, nessa altura, que tinham sido constituídos cinco arguidos. "Não percebo o que está em causa, mas estou totalmente disponível para colaborar com as autoridades", disse em junho Melchior Moreira, que afirmava estar "de consciência tranquila".

O presidente da entidade de promoção do turismo é suspeito de ter passado férias no Algarve com as despesas a serem pagas pelos seus alegados corruptores.

Os detidos, com idades compreendidas entre os 42 e os 54 anos, sendo três dirigentes de entidade pública e dois empresários, vão ser presentes amanhã a interrogatório judicial.

(notícia atualizada às 13.18)

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

O Mourinho dos Mourinhos

"Neste país todos querem ser Camões mas ninguém quer ser zarolho", a frase é do Raul Solnado e vem a propósito do despedimento de José Mourinho. Durante os anos de glória todos queriam ser o Mourinho de qualquer coisa, numa busca rápida encontro o "Mourinho da dança", o "Mourinho da política", o "Mourinho da ciência" e até o "Mourinho do curling". Os líderes queriam ter a sua assertividade, os homens a sexyness grisalha e muitas mulheres queriam ter o Mourinho mesmo.