Rio só sairá se perder por muito nas legislativas

Perder por pouco ou perder por muito faz toda a diferença para Rui Rio. O líder do PSD só admite deitar a toalha ao chão se tiver uma derrota pesada nas legislativas de 2019.

Paula Sá
Rui Rio defende que os cuidados de saúde devem ser prestados tanto pelo setor público como pelo privado© MANUEL FERNANDO ARAÚJO / LUSA

"O resultado de outubro de 2019 é nuclear para eu decidir se continuo ou não continuo", admitiu Rui Rio, no programa Bancada Central da TSF. "Se ganhar as eleições por largo, ou por pouco, é completamente diferente de perder por uma margem substancial", afirmou o líder social-democrata.

Ou seja, Rio só admite abandonar a liderança num cenário de uma derrota pesada nas legislativas, em outubro, mesmo que o PSD venha a passar por um desaire eleitoral nas eleições europeias que se realizam meses antes. Porque, explicou aos microfones da TSF, tem um projeto e "é preciso tempo".

Sobre a linha ideológica do PSD, o presidente social-democrata admitiu que há uma evolução nos últimos 20 anos que "inclinaram mais o partido para a direita do que para a esquerda". Um deslocamento que se iniciou, disse, com Durão Barroso e que se acentuou, por influência da troika. "Aí há claramente um deslocamento", admitiu.