Crise na Saúde Militar: "Esta é mais uma prova da incapacidade do Ministro"

O CDS acusa Azeredo Lopes de estar a "adiar" decisões para o próximo governo, quando pede soluções daqui a oito meses para o problema de financiamento do Sistema de Saúde Militar

Valentina Marcelino
Azeredo Lopes: "este ministro é um incapaz", acusa o CDS© António Cotrim / Lusa

"Esta é mais uma prova de incapacidade do ministro de Defesa Nacional para resolver os problemas", reage Nuno Magalhães, líder da bancada centrista, à iniciativa de Azeredo Lopes para responder à crise instalada no Sistema de Saúde Militar (SSM). Conforme o DN noticiou, o ministro determinou, num despacho assinado no passado sábado, a criação de uma "plataforma" - que junta Forças Armadas e responsáveis da Saúde - para apresentar soluções, num prazo de oito meses.

Para o vice-presidente do CDS "está é também mais uma prova daquilo" que o seu partido tem vindo a denunciar, "que são as cativações até em áreas de soberania, como a Defesa, o que agrava ainda mais a situação". Para o deputado, está demonstrado que "este ministro é um incapaz". De acordo com a última estimativa, o "buraco" financeiro do SSM atingia no final de 2017 os 70 milhões de euros, com muitos pagamentos a fornecedores em atraso da parte do Hospital das Forças Armadas.

Nuno Magalhães avança que o CDS "vai fazer uma pergunta ao governo sobre quando esta situação estará resolvida" e assinala que "a criação desta dita plataforma, ou grupo de trabalho, não é mais que empurrar o problema com a barriga para o final do mandato". "É outro sinal dos tempos: um governo que já não governa, que espera eleições", afiança o dirigente centrista.