Advogado de Manuel Pinho contestou magistrados no processo

Audição de Manuel Pinho no DCIAP foi cancelada. O ex-ministro da Economia está neste momento a ser ouvido na Comissão de Economia da Assembleia da República

Esta manhã, o ex-ministro da Economia apresentou-se no incidente no Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) para ser ouvido mas a audição acabou por ser adiada. O seu advogado, Ricardo Sá Fernandes, não quis revelar os motivos do adiamento, dizendo apenas que se tratou de "questões processuais".

A explicação oficial chegou entretanto através de um comunicado da Procuradoria-Geral da República: "Antes de iniciada a diligência foi suscitado, pelo seu advogado, o incidente de recusa dos magistrados designados para dirigir o inquérito", explica a PGR. "Perante o requerimento apresentado, o magistrado do Ministério Público deu sem efeito a diligência designada, a fim de o incidente de recusa ser apreciado pelo imediato superior hierárquico (Diretor do DCIAP).

O advogado explicou aos jornalistas ter discordado da marcação para hoje da diligência que levou Manuel Pinho ao DCIAP, porque foi marcada para o mesmo dia em que o ex governante vai ao parlamento, cerca das 15:00, para prestar esclarecimentos aos deputados acerca de decisões políticas que tomou na área da energia.

"Pedimos o reagendamento desta diligência [do Ministério Público] para outro dia, uma vez que nos parecia inconveniente", disse, defendendo que no combate processual as instituições "têm de ser respeitadas, mesmo que se discorde" da decisão dessas instituições, e que essa foi a razão porque se deslocou hoje com Manuel Pinho ao DCIAP.

Ler mais

Exclusivos