Adiadas 1500 cirurgias desde Janeiro

A ministra da Saúde, Marta Temido, anunciou nesta noite de sexta-feira o último balanço das cirurgias adiadas em consequência da 'greve cirúrgica decretada por alguns sindicatos de enfermeiros.

Desde o dia 31 de janeiro, foram adiadas 1500 cirurgias devido à greve decretada por alguns sindicatos de enfermeiros, nomeadamente pela ASPE e Sindepo. Ministra disse o dia de hoje foi tranquilo, depois de .ter sido decretada a requisição civil.

Este número foi divulgado esta noite pela ministra da Saúde, depois de o governo ter decretado requisição civil para quatro centros hospitalares do país, onde foi detetado que não estariam a cumprir os serviços mínimos definidos pelo Tribunal Arbitral - Centro Hospitalar e Universitário de São João, Centro Hospitalar do Porto, que integra o Hospital Santo António, Centro Hospitalar de Entre-o-Douro e Vouga e no Centro Hospitalar de Tondela-Viseu.

A decisão do governo foi anunciada na quinta-feira. Os sindicatos reagiram começando por anunciar uma providência cautelar, mas já informaram que, afinal, a figura jurídica a utilizada será a de "uma intimação para proteção dos direitos, liberdades e garantias."

O anúncio de que uma ação judicial iria avançar foi feito durante a manhã de sexta-feira durante um protesto de enfermeiros à porta do Hospital de Santa Maria, em Lisboa, no qual esteve presente também a bastonária da classe, Ana Rita Cavaco.

Carlos Ramalho, do Sindicato Democrático dos Enfermeiros portugueses (Sindepor), garantiu que ao contrário do que alguns hospitais alegaram os serviços mínimos foram sempre cumpridos. O que aconteceu foi que tinham sido agendadas cirurgias programadas que mesmo que os enfermeiros não estivessem em greve seriam adiadas.

430 cirurgias prioritárias adiadas em Coimbra na primeira greve

Em Coimbra, pelo menos 430 das cirurgias adiadas eram prioritárias ou muito prioritárias. Em relação ao total, 22% das operações adiadas eram prioritárias e 2% muito prioritárias.

Contudo, do total de cirurgias canceladas o CHUC identificou que 394 cancelamentos foram "resolvidos no período da greve".

Das 1890 cirurgias adiadas, 8% cento eram em operações de crianças.

Na resposta à OM, o CHUC acrescenta que muitos doentes não chegam a estar refletidos nestes dados, porque a respetiva cirurgia não chegou a ser agendada devido às perspetivas da própria greve. "Só virão a ser visíveis no aumento da lista de espera e no aumento de posteriores transferências para o setor privado", refere o centro hospitalar.

No Centro Hospitalar e Universitário Lisboa Norte, ao qual pertencem os hospitais de Santa Maria e Pulido Valente, mais de 120 cirurgias prioritárias ou muito prioritárias foram adiadas no decurso da primeira greve cirúrgica dos enfermeiros.

Segundo a administração do Santa Maria, quase 15% das cirurgias adiadas eram prioritárias e 3,5% muito prioritárias.

No momento em que enviou a informação à OM, o Centro Hospitalar Lisboa Norte apontava para 676 operações adiadas, mas entretanto, no parlamento, o presidente da administração indicou que mais de 800 tinham sido afetadas pela greve dos enfermeiros.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

Islamofobia e cristianofobia

1. Não há dúvida de que a visita do Papa Francisco aos Emirados Árabes Unidos de 3 a 5 deste mês constituiu uma visita para a história, como aqui procurei mostrar na semana passada. O próprio Francisco caracterizou a sua viagem como "uma nova página no diálogo entre cristianismo e islão". É preciso ler e estudar o "Documento sobre a fraternidade humana", então assinado por ele e pelo grande imã de Al-Azhar. Também foi a primeira vez que um Papa celebrou missa para 150 mil cristãos na Península Arábica, berço do islão, num espaço público.

Premium

Adriano Moreira

Uma ameaça à cidadania

A conquista ocidental, que com ela procurou ocidentalizar o mundo em que agora crescem os emergentes que parecem desenhar-lhe o outono, do modelo democrático-liberal, no qual a cidadania implica o dever de votar, escolhendo entre propostas claras a que lhe parece mais adequada para servir o interesse comum, nacional e internacional, tem sofrido fragilidades que vão para além da reforma do sistema porque vão no sentido de o substituir. Não há muitas décadas, a última foi a da lembrança que deixou rasto na Segunda Guerra Mundial, pelo que a ameaça regressa a várias latitudes.