Cristas diz que calhou a fava aos portugueses com governo de Costa

A presidente do CDS-PP disse esta sexta-feira à noite, em Torres Vedras, que, "em vez da prenda, calhou a fava" aos portugueses com o governo de António Costa, que acusou de deixar o país "preso por arames".

"Quando nos apercebemos que há indicadores que não batem certo com o discurso oficial do primeiro-ministro, percebemos que, quase em Dia de Reis, a todos nós está a sair-nos a fava e não a prenda do bolo-rei, que já caiu em desuso", afirmou Assunção Cristas durante o tradicional jantar de reis das concelhias da região Oeste, em Torres Vedras, no distrito de Lisboa.

No último ano da atual legislatura, a líder do CDS-PP defendeu que o governo liderado por António Costa está a deixar o "país preso por arames", por ter "dificuldades em assumir responsabilidades", apesar de beneficiar de uma "conjuntura internacional e nacional favorável".

Para Assunção Cristas, "o governo não cumpre o que promete", dando o exemplo do que se passou com a contagem do tempo de serviço dos professores.

"Bem andou o senhor Presidente da República quando vetou um diploma do governo vergonhosamente aprovado, com o simulacro de uma negociação que não existiu", considerou.

Já a descentralização, Assunção Cristas classificou-a como "um logro deste governo", face à "indefinição de recursos financeiros".

"Vemos a economia a desacelerar, vemos os serviços públicos caóticos, as críticas a aumentarem da saúde aos transportes, assim como a dívida a aumentar. Temos um Governo que conseguiu o paradoxo de ter carga fiscal máxima e serviços públicos mínimos", acrescentou.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG