Carlos Alexandre pede a MP parecer sobre possível violação do segredo de justiça por parte de António Costa

O juiz Carlos Alexandre, que dirige a fase de instrução do processo de Tancos, pediu nesta quarta-feira ao Ministério Público para se pronunciar sobre a divulgação na página oficial do governo do depoimento escrito do primeiro-ministro.

Num despacho desta tarde, Carlos Alexandre refere que os autos estão em segredo de justiça externo e que, depois de ter tido conhecimento de que foi publicada na página da presidência do Conselho de Ministros uma cópia das respostas do depoimento escrito de António Costa, que o tribunal recebeu na terça-feira, decidiu notificar o Ministério Público para se pronunciar sobre a divulgação.

O primeiro-ministro entendeu nesta quarta-feira proceder à divulgação pública integral das suas respostas às perguntas feitas pelo juiz Carlos Alexandre depois de terem sido "postas a circular versões parciais do depoimento".

"Tendo sido postas a circular versões parciais do depoimento do primeiro-ministro como testemunha arrolada pelo professor doutor José Alberto Azeredo Lopes no chamado Caso de Tancos, entendeu o primeiro-ministro dever proceder à divulgação pública integral das respostas a todas as questões que lhe foram colocadas e que constam do depoimento já entregue ao Tribunal Central de Instrução Criminal, às 16h22 horas, do dia 4 de fevereiro de 2020", lê-se numa nota divulgada pelo gabinete do líder do executivo.

O primeiro-ministro respondeu por escrito, como testemunha arrolada pelo ex-ministro da Defesa e arguido Azeredo Lopes, às cem perguntas formuladas pelo juiz que dirige a fase de instrução do processo sobre o furto e a recuperação das armas dos paióis de Tancos.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG