Caixa de munições perdida a caminho da Escola de Fuzileiros

Material caiu durante transporte de material de guerra usado na Lituânia para as instalações em Vale de Zebro (Barreiro).

Uma caixa de 1000 munições de 9 mm caiu da viatura militar que na quarta-feira transportava material de guerra para a Escola de Fuzileiros, soube o DN.

A caixa acabaria por ser recuperada por um particular que circulava atrás da coluna de viaturas dos Fuzileiros e a foi entregar à PSP de Setúbal, em cujo porto atracara o navio com o material de guerra oriundo da Lituânia.

Fonte oficial da Marinha confirmou o caso ao DN.

O caso, que acaba por ter contornos semelhantes ao de Tancos no que respeita ao controlo do material de guerra, só foi descoberto porque a PSP contactou o Ministério da Defesa.

Caso tem contornos semelhantes ao de Tancos em matéria de controlo do material de guerra

A partir dos dados fornecidos é que se conseguiu perceber a quem pertencia aquele milhar de munições de 9 mm, o mesmo calibre de guerra das balas furtadas em Tancos e que não foram recuperadas, soube o DN.

A Marinha já abriu um inquérito para averiguar as causas do incidente com caráter de urgência.

O material de guerra tinha vindo da Lituânia, onde uma companhia de fuzileiros esteve colocada desde junho e ao serviço da NATO, no âmbito das chamadas medidas de tranquilização junto dos aliados vizinhos da Rússia.

"É mais um escândalo brutal" a afetar a instituição militar, reconheceu uma das fontes ouvidas pelo DN sob anonimato por não estarem autorizadas a falar.

Em rigor, o chamado cunhete com 1000 munições de 9 mm caiu entre a base naval de Lisboa - para onde tinham sido transportados os dois contentores selados - e a Escola de Fuzileiros.
Uma das questões em aberto passa por saber como é que a caixa caiu do camião sem que a viatura de segurança, que seguia atrás, se tivesse apercebido.

Exclusivos