Ajuda militar já chegou à ilha das Flores

Estragos causados pela passagem do furacão Lorenzo sobre os Açores justificam operações de apoio das Forças Armadas com drones e material hidrográfico e de engenharia.

Um Hércules C-130 da Força Aérea chegou este sábado à ilha açoriana das Flores com militares e material para apoiar as autoridades locais na avaliação e resposta aos estragos provocados pela passagem do furacão Lorenzo, informou fonte oficial.

Segundo o Estado-Maior-General das Forças Armadas (EMGFA), a equipa avançada com militares dos três ramos vai avaliar em especial "o estado de acessibilidade do Porto da Lajes das Flores e outras infraestruturas" passíveis de utilização por embarcações destinadas a abastecer a ilha.

A bordo do C-130, que aterrou cerca das 09:00 desta manhã, transportava uma brigada hidrográfica de sete militares e respetivo material, quatro mergulhadores com um bote e um drone submarino e, ainda, três fuzileiros equipados com drones aéreos para identificar destroços no interior do porto, explicou o porta-voz do EMGFA, comandante Santos Serafim.

Do Exército vão estar quatro militares do Regimento de Engenharia nº.1, segundo o comunicado do EMGFA, precisando que no total há 350 militares apoiar as operações de emergência civil no arquipélago pedidas pelo governo regional.

Com o navio de patrulha oceânica Setúbal já no local, a Armada prevê a chegada de outros dois navios na próxima terça feira: a fragata Álvares Cabral e o reabastecedor Bérrio.


Os estragos provocados pelo furacão Lorenzo no arquipélago açoriano são um dos exemplos que justificam a necessidade de Portugal adquirir um navio polivalente logístico, discutida há anos no âmbito do reequipamento das Forças Armadas.

Exclusivos