Susan Sarandon sobre Woody Allen: "Abusou sexualmente de uma criança"

A atriz avisou que não tinha nada de bom a dizer sobre o cineasta

O festival de Cannes não está a correr bem a Woody Allen e o cinema nem tem nada a ver com o assunto. O que está em causa é uma acusação de abuso sexual por parte da filha adotiva, Dylan Farrow. A história já é antiga, mas voltou agora a ganhar destaque, por causa de uma piada do anfitrião da cerimónia de abertura e por causa de uma crónica do filho do realizador. A machadada final foi dada, ontem, por Susan Sarandon.

Num debate sobre o papel das mulheres no cinema, em que também participou a atriz Gena Devis, sua parceira em Thelma & Louise, que está a comemorar 25 anos, Susan Sarandon foi questionada acerca de Woody Allen e do fato de este ter afirmado que não tinha material suficiente para fazer um filme sobre uma mulher que se apaixona por um homem mais novo. "Não tenho nada de bom a dizer sobre Woody Allen, portanto acho que não devemos ir por aí", começou a atriz.

Pressionada pelos jornalistas, Susan Sarandon lá disse o que tinha a dizer. "Acho que ele abusou sexualmente de uma criança".

A atriz referia-se às alegações de Dylan Farrow, filha adotiva do cineasta e da atriz Mia Farrow, que, há dois anos denunciou, numa carta aberta publicada no The New York Times, os alegados abusos sexuais que sofreu aos sete anos por parte do cineasta.

O caso foi divulgado em 1993, mas Woody Allen sempre negou as acusações e nunca chegou sequer a ser julgado. Após a divulgação desta carta aberta, o realizador voltou a negar ter abusado da filha, classificando as acusações como "falsas e vergonhosas". Depois, publicou ele próprio uma resposta no mesmo jornal.

Só que o assunto voltou à ribalta à boleia do protagonismo de Woody Allen no Festival de Cannes, que abriu precisamente, na quarta-feira passada, com o seu mais recente filme, Café Society. Nesse dia, o filho Ronan escreveu um artigo publicado no The Hollywood Reporter, no qual ataca de novo o pai pelos alegados abusos à irmã, admite que nem sempre a apoiou e critica a comunicação social por não fazer "perguntas difíceis".

Como se não bastasse, na cerimónia de abertura do evento, o anfitrião fez uma piada relacionada com o tema. "É muito bom que faça tantos filmes na Europa, mesmo que não esteja a ser acusado de violação nos Estados Unidos", afirmou Laurent Lafitte fazendo a comparação a Roman Polanski.

Allen garantiu não ter ficado ofendido e que não é uma pessoa de julgar ou censurar piadas. "Também faço humor e acho que devem ser livres de fazer as piadas que quiserem", afirmou, citado pelo Vulture.

Sobre as declarações do filho, afirmou não as ter lido.

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.