Sobrinha de Versace falou sobre a sua anorexia

Allegra, de 24 anos, admitiu que esteve "perdida" e não queria "enfrentar a realidade". A jovem milionária herdou 50 por cento do património deixado por Gianni Versace.

Numa altura em que Itália se volta a debater a relação do mundo da moda com a magreza extrema de manequins e mulheres, em geral, Allegra Versace veio a público falar sobre a sua anorexia.

"Chamo-o o meu período de ausência, estava perdida nos meus pensamentos e não queria enfrentar a realidade. Tinha os olhos fechados a tudo. Queria ser nada, não queria ser reconhecida nem perseguida". É assim que descreve Allegra Versace a sua vida nos últimos anos, em entrevista ao jornal La Repubblica.

A filha de Donatella e sobrinha do falecido Gianni Versace, de 24 anos, falou pela primeira vez do apelido que carrega e de preferir levar a sua vida longe dos holofotes da fama.

"Fosse onde fosse, era sempre uma Versace. Não podia escapar a isso e essa realidade magoava-me. Prefiro o anonimato. Trabalho para um estilista italiano, ajudo-o a organizar desfiles e na parte criativa. Mas o melhor deste trabalho é o facto de eu não ser ninguém", explicou a herdeira do legado da marca Versace, que em 2004 chocou o mundo com a sua extrema magreza.

A jovem falou ainda da relação com a sua mãe, Donatella. "Somos muito unidas, apesar de sermos diferentes. Ela é extrovertida e determinada, eu sou tranquila. Ela usa a fama em serviço do trabalho, eu odeio a fama", afirmou Allegra.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG