Sinead O'Connor desaparecida. Polícia inicia buscas

Cantora está desaparecida desde domingo, depois de passeio de bicicleta em Chicago. A polícia acredita que existe risco de suicídio.

Sinead O'Connor está desaparecida há um dia e as autoridades norte-americanas já iniciaram as buscas para encontrar a cantora irlandesa de 49 anos. Segundo avança o TMZ em primeira mão, numa informação que a restante imprensa internacional tem vindo a divulgar, a polícia terá razões para acreditar que existe risco de suicídio envolvido neste desaparecimento.

A última vez que a cantora de Nothing Compares 2 U foi vista foi este domingo, pela uma hora da tarde, na zona de Wilmette, em Chicago, durante um passeio de bicicleta a solo. Alguém terá, horas depois, alertado a polícia e avisado que a cantora não havia regressado do referido passeio.

Recorde-se que, em novembro do ano passado, O'Connor publicou uma aparente carta de suicídio no Facebook. O texto levou mesmo a que a polícia irlandesa entrasse em ação, tendo, após algumas horas, confirmado que a cantora estava "sã e salva" e a receber assistência médica. "Tomei uma overdose. Não há outra forma de conseguir respeito. Não estou em casa, estou num hotel, algures na Irlanda, sob outro nome" , lia-se na mensagem no Facebook, que levou os fãs a lançarem o alerta às autoridades.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.