O que ele disse dela é "degradante e intolerável"

Um grupo de estudantes de medicina denunciou um professor por comentários "machistas e intoleráveis"

10 de março. Aula de dermatologia na Academia CTO Medicina de Barcelona. Para explicar alguns conceitos da disciplina, um professor recorreu a uma série de comentários "racistas, degradantes, humilhantes e intoleráveis", segundo uma denúncia apresentada por um grupo de estudantes presentes. O docente terá comparado as funções de determinadas glândulas do corpo a mulheres que vão a discotecas: as que vão para seduzir são "vagabundas" e as que vão apenas para dançar são "rançosas".

Júlia Bou, uma das alunas que assistiu à aula, contou, numa entrevista, que o professor usou Sara Carbonero como exemplo, projetando até uma fotografia dela. "É uma mulher bonita, mas é rançosa porque é rica em sífilis", atirou, para espanto da turma.

Miley Cyrus também serviu de suporte às suas explicações. Para diferenciar o líquen e a psoríase, doenças inflamatórias da pele, o professor comparou a primeira a um homem do século XIX, por ser mais comedido, e associou a segunda à cantora norte-americana, por ser uma mulher descontrolada.

Incomodados, vários estudantes saíram da sala. "Abandonámos a aula devido ao vexame e à impotência que sentimos", lê-se na carta de denúncia. De acordo com os jovens que ficaram até ao fim, o professor terá pedido desculpa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG