Sabres de luz e fãs de Darth Vader despertam a Força em Portugal

A antestreia do novo filme da saga Star Wars realizou-se esta quarta-feira, no Cinema São Jorge

Quem passou pelo Cinema São Jorge esta quarta-feira à noite entrou num universo paralelo. Um universo recheado de dróides, Storm Troopers, Darth Vaders e duelos de sabres de luz. Um universo que atraiu a esse espaço lisboeta os fãs mais entusiastas da saga Star Wars. A ocasião? A antestreia do Episódio VII criado por George Lucas: O Despertar da Força.

"Entusiasma-me este universo inteiro: a imaginação do criador, a interpretação, os efeitos especiais, as batalhas, as nuances entre o bem e mal. É absolutamente fascinante", confessa José Alberto Carvalho, uma das figuras presentes no evento. O jornalista da TVI trouxe consigo o filho, Duarte, de 10 anos, com quem gosta de se perder neste universo. "Já temos o sabre de luz do Kylo Ren, o vilão do novo filme, temos o BB-8 e temos também uma grande coleção de legos".

Nuno Markl é outro dos fãs incondicionais da Guerra das Estrelas. Uma paixão com mais de 30 anos. "O meu primeiro contacto com os filmes foi em 1981, quando o primeiro Star Wars, o de 1977, foi reposto nos cinemas. Fiquei doido, aquilo foi uma epifania. Era na altura em que a ficção científica nos era servida apenas na televisão, a preto e branco, numa caixa muito pequenina, e de repente ir ao cinema e levar com uma aventura daquela dimensão... Foi uma experiência que me marcou e que explica porque é que eu nunca mais deixei esta segunda pele", conta o humorista, cuja personagem preferida é, "irremediavelmente, Boba Fett, o Caçador de Cabeças".

Este grande regresso da história de George Lucas também deixou Iva Domingues em êxtase. "Sinto-me com 12 anos. Quem não vê Star Wars acha que é só mais uma história de geeks, de ficção científica, e é tudo menos isso. É uma história muito bem contada e que, de facto, marcou a minha vida toda. Até é um bocadinho emocional para mim", confessou a apresentadora, que se fez acompanhar pela filha Carolina, 13 anos, também ela entusiasta desta produção. E se há figura que as cativas, é sem dúvida o vilão, Darth Vader. "É o melhor vilão da história do cinema. E nem é tanto um vilão, porque ele era o Anakin Skywalker, era bonzinho, mas depois como lhe faltou o amor, as trevas corromperam-no. É maravilhoso".

Darth Vader parece ser, aliás, uma das figuras mais populares da saga. Também ele é a personagem preferida de Nuno Eiró e de Nilton. "Tenho um fetiche por ele. Tem uma voz fácil de imitar, está sempre a brincar, tem aquele encanto de vilão e tal", admite o anfitrião das sextas-feiras do 5 Para a Meia-Noite.

Já o seu colega, António Raminhos, prefere o peludo Chewbacca. "Eu sou parecido com ele, cheio de pêlos", brinca. A ele, cativa-o "o fantástico, os sabres de luz, a Força, o poder". Um fascínio que ainda não conseguiu passar às suas filhas, Maria Rita e Maria Inês. "No outro dia meti o capacete do Darth Vader à mais velha, mas ela não quis. A mais pequenina aceitou, mas isso é porque ela é do lado negro da força. No entanto, já gostam de ver o Star Wars da Disney, os desenhos animados, antes isso que a Violetta".

Eram 21.30. As portas da sala Manoel de Oliveira estavam prestes a abrir e as mais de 800 pessoas que aguardavam ver O Despertar da Força faziam fila, impacientemente. Depois de tomados os lugares, houve uma surpresa: a Orquestra Sinfonietta de Lisboa subiu ao palco para tocar o tema principal da saga, composto por John Williams.

Poucos minutos depois, começava o filme. Com óculos 3D para avivar a experiência, a plateia foi reagindo de forma particularmente efusiva, e não se coibiu de aplaudir de cada vez que uma das personagens icónicas surgia pela primeira vez, como Han Solo (Harrison Ford), Leia (Carrie Fisher) ou Luke Skywalker (Mark Hamill).

O novo filme Star Wars está, a partir desta quinta-feira, nas salas de cinema portuguesas.

Exclusivos