Príncipe Harry faz expedição com 35 graus negativos

O príncipe Harry chegou hoje ao Polo Sul depois de uma expedição que durou três semanas e que percorreu 320 quilómetros sob um frio intenso.

Quarto na linha de sucessão ao trono britânico, Harry fez esta viagem na companhia de um grupo de soldados com deficiência física. Organizada pela Walking With the Wounded, a expedição tinha fins solidários e chegou hoje, sexta-feira, dia 13, ao fim.

"O que dá azar a uns dá sorte a outros", disse, ainda antes da iniciativa, o príncipe, 29 anos, que chegou ao destino com uma grande barba ruiva. Harry afirmou agora que estavam todos um pouco cansados mas que tinham encontrado o seu ritmo.

A expedição percorreu 320 quilómetros e durou três semanas (numa média de 14,19 quilómetros por dia), ao longo das quais o grupo ultrapassou temperaturas de 35 graus abaixo de zero e ventos de quase 80 quilómetros/hora, tendo de puxar trenós com 70 quilos de carga.

Inicialmente esta iniciativa foi concebida como uma corrida entre equipas do Reino Unido, Estados Unidos e Commonwalth, mas a competição foi esquecida devido ao cansaço de muitos dos participantes, antigos soldados feridos em combate.

"Sabíamos que não seria fácil, mas foi o que tonou este desafio tão excitante", afirmou o fundador da Walking With the Wounded, Ed Parker.

Em 2011, o príncipe Harry já havia estado envolvido numa expedição ao Polo Norte, mas teve de a interromper devido ao casamento do irmão, William, com Kate Middleton.

Exclusivos

Premium

Gastronomia

Quem vai ganhar em Portugal as próximas estrelas Michelin

É já no próximo dia 20, em Sevilha, que vamos conhecer a composição ibérica das estrelas Michelin para 2020. Estamos em festa, claro, e festejaremos depois com os nossos bravos, mesmo sabendo que serão poucos para o grande nível a que já chegámos. Fernando Melo* escreve sobre os restaurantes que podem ganhar estrelas Michelin em 2020 em Portugal.