Tribunal proíbe 'ex' de Halle Berry de alisar o cabelo da filha

A atriz recorreu ao tribunal para impedir que Gabriel Aubry altere o visual da filha, alegando que pode "provocar danos psicológicos"

A guerra em torno da custódia parental de Nahla, filha da atriz Halle Berry e do manequim Gabriel Aubry, tem mais um episódio. A atriz norte-americana interpôs um processo para impedir o ex-companheiro de alisar e aclarar o cabelo da filha. O tribunal de Los Angeles aceitou os argumentos da mãe e proibiu ambos de fazerem alterações no visual da criança.

Através de um comunicado lido pelo seu advogado no tribunal, Halle Berry mostrou o seu profundo desagrado com o comportamento do ex-companheiro. "Quero que tanto eu como o Gabriel tomemos em conjunto todas as decisões que digam respeito à nossa filha", podia ler-se no referido documento. "Lamento ter de ir tão longe e pedir a intervenção da justiça, mas já que o Gabriel não entende o significado de custódia partilhada e como funciona, os juízes são o meu último recurso para salvaguardar os interesses da Nahla", acrescentou.

A atriz, que foi galardoada com um Óscar na categoria de Melhor Atriz no filme Monster"s Ball - Depois do Ódio, acusa o manequim de negar as raízes afro-americanas de Nahla, de 6 anos, e de tentar atribuir-lhe um aspeto caucasiano ao alisar e aclarar o seu cabelo.

Na ótica de Halle Berry, este comportamento pode vir a provocar "danos físicos e psicológicos" na filha de ambos, ao aperceber-se de que o seu cabelo, que é encaracolado e escuro, foi alvo de transformações. A estrela de Hollywood alega ainda que Nahla pode vir a questionar-se por que motivo "a sua aparência natural não é suficientemente boa".

Leia mais no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG