Republicanos prontos para destruir carreira de Ashley Judd

A atriz desistiu de concorrer a um lugar no Senado contra o republicano McConnell, pelos democratas. No entanto, se tivesse continuado na corrida pelos votos, o político experiente de 71 anos, estava preparado para a descredibilizar.

O FBI já esta investigar as escutas que foram instaladas no escritório de Mitch McConnell, que ocupa o cargo de senador republicano há 30 anos. Segundo o El Pais, nas gravações pode ouvir-se o republicano e os seus assessores a discutir os problemas pelos quais Ashley Judd tinha passado na infância, a sua saúde mental e até mesmo as suas crenças religiosas.

"Ela é uma desequilibrada emocional, está documentado. Na sua autobiografia conta que sofreu de tendências suicidas e esteve 42 dias hospitalizada com um ataque de nervos", conta uma das pessoas que se ouve na gravação.

Ao que tudo indica, a estratégia republicana consistia em dizer publicamente que a atriz era desequilibrada e doente mental.

No entanto, antes de Ashley Judd desistir da campanha, alegando problemas familiares, foi questionada sobre o rival McConnell e garantiu que não tinha medo. "Fui violada duas vezes, acho que posso lidar com o meu rival", sublinhou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG