Peter Doherty e Amy Winehouse eram amantes

O líder da banda Libertines revelou ao jornal Daily Mail que manteve um romance com a malograda cantora Amy Winehouse, que morreu em julho de 2011.

"Isto é difícil de admitir, mas sim, é verdade. A Amy e eu eramos amantes. Amei-a e ainda amo. Mas perto do fim [do romance], e tal como os amantes fazem, ela tornou-se má e cruel para mim. Ela não atura parvoíces... e acreditem, tinha cá um gancho de direita", disse Peter Doherty.

Em declarações à publicação britânica, o líder da banda Libertines defendeu que a pressão mediática acrescida à dependência de álcool e drogas ajudou a matar Winehouse. "A Amy não podia dar um passo sem se confrontar com 30 câmaras a empurrá-la. Se incluirem crack na equação, é uma assassinato, especialmente porque ela não fazia nada por metade", comentou Doherty.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG