Victoria Beckham: de Spice Girl a embaixadora da ONU

A mulher de David Beckham visitou a Fundação Elton John para a Sida, na África Sul, naquela que foi a sua primeira visita oficial enquanto embaixadora da Boa Vontade

O mundo habituou-se a vê-la vestida com roupas de marca, joias caras e carros topo de gama. Victoria Beckham, que é considerada por muitos como um ícone de estilo, abandonou por momentos a sua vida glamorosa e partiu rumo à África do Sul, naquela que foi a sua primeira viagem desde que foi nomeada pela ONU como embaixadora da Boa Vontade.

A estilista esteve no Soweto para manifestar o seu apoio à Fundação Elton John Aids, instituição criada pelo cantor britânico e que tem como missão ajudar portadores do vírus VIH. A mulher de David Beckham fez questão de privar com as crianças que recebem ajuda da instituição e partilhou com os fãs alguns momentos da sua visita na rede social Twitter. "Nos últimos três anos, a Fundação Elton John Aids ajudou mais de 60 mil mães a dar à luz bebés sem o vírus VIH", escreveu Victoria Beckham, publicando uma fotografia na qual aparece com um bebé ao colo.

Naquela que foi a sua primeira ação como embaixadora, a estilista optou por um visual mais discreto do que o habitual, combinando umas calças de ganga de lavagem escura com uma T-shirt preta. Victoria Beckham não se coibiu de se sentar no chão com um grupo de jovens mulheres, com quem conversou sobre a prevenção do VIH, nem de fazer um graffito num dos muros da instituição. "Educação + Arte = Futuro livre de sida, escreveu.

A visita da empresária à África do Sul aconteceu duas semanas depois de ter sido nomeada como embaixadora da Boa Vontade pela ONU. Na altura, Victoria Beckham falou sobre a importância desta sua missão e por que motivo decidiu dedicar-se às causas humanitárias: "Sou mãe e mulher. Vou fazer o que puder para conseguir arrecadar dinheiro. Estou apaixonada por esta causa", começou por explicar na conferência de imprensa que teve lugar em Nova Iorque. "Recentemente visitei a África do Sul e senti-me muito inspirada pelas mulheres que encontrei. Fui para casa e senti que tinha de fazer alguma coisa. Precisei de fazer 40 anos para perceber a responsabilidade que tinha. Este é o começo de uma jornada incrível para mim", acrescentou a empresária, que já tinha visitado a África do Sul em fevereiro último.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...