Shia LaBeouf em tratamento para combater alcoolismo

O ator foi visto a entrar numa clínica de reabilitação em Los Angeles com um livro dos Alcoólicos Anónimos na mão. O seu agente confirmou a doença, mas assegurou que ele não vai ficar internado.

Depois de, na passada semana, o seu estado de embriaguez na apresentação do musical da Broadway Cabaret lhe ter valido uma escolta policial, Shia LaBeouf decidiu, voluntariamente, começar a tratar a sua dependência de álcool.

O ator, de 28 anos, foi fotografado a entrar numa clínica de reabilitação em Los Angeles, Estados Unidos, com um livro dos Alcoólicos Anónimos na mão. "O Shia estava nervoso, não parecia estar bem. Estava cabisbaixo e nem sequer falava com o seu motorista. Parecia que não queria fazê-lo", revelou o responsável por captar as imagens.

Entretanto, um representante da estrela de cinema já veio esclarecer o assunto. "Contrariamente ao que dizem as últimas notícias, o Shia LaBeouf não se internou numa clínica de reabilitação, mas está voluntariamente a receber tratamento para a dependência de álcool", confirmou à revista norte-americana Access Hollywood, completando: "Ele percebe que as suas últimas ações são um sintoma de um problema de saúde maior e tomou o primeiro de muitos passos necessários para a recuperação".

Na semana passada, Shia foi detido pelas autoridades por ter utilizado linguagem ofensiva, por ter batido nas costas de várias pessoas e por ter acendido um cigarro durante o espetáculo. O episódio vai levá-lo a tribunal no dia 24 de julho.

O ator chegou a revelar publicamente que o seu pai sofreu do mesmo problema e que, quando era criança, acompanhava-o às reuniões dos Alcoólicos Anónimos. Em 2008, LaBeouf esteve dois meses internado para tratar o alcoolismo mas, três anos depois, confessou ter voltado a cair no vício.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A Europa, da gasolina lusa ao palhaço ucraniano

Estamos assim, perdidos algures entre as urnas eleitorais e o comando da televisão. As urnas estão mortas e o nosso comando não é nenhum. Mas, ao menos, em advogado de Maserati que conduz sindicalistas podíamos não ver matéria de gente rija como cornos. Matéria perigosa, sim. Em Portugal como mais a leste. Segue o relato longínquo para vermos perto.Ontem, defrontaram-se os dois candidatos a presidir a Ucrânia. Não é assunto irrelevante apesar de vivermos no outro extremo da Europa. Afinal, num canto ainda mais a leste daquele país há uma guerra civil meio instigada pelos russos - e hoje sabemos, como não sabíamos ainda há pouco, que as guerras de anteontem podem voltar.

Premium

Marisa Matias

Greta Thunberg

A Antonia estava em Estrasburgo e aproveitou para vir ao Parlamento assistir ao discurso da Greta Thunberg, que para ela é uma heroína. A menina de 7 ou 8 anos emocionou-se quando a Greta se emocionou e não descolou os olhos enquanto ela falava. Quando, no final do discurso, se passou à ronda dos grupos parlamentares, a Antonia perguntou se podia sair. Disse que tinha entendido tudo o que a Greta tinha dito, mas que lhe custava estar ali porque não percebia nada do que diziam as pessoas que estavam agora a falar. Poucos minutos antes de a Antonia ter pedido para sair, eu tinha comentado com a minha colega Jude, com quem a Antonia estava, que me envergonhava a forma como os grupos parlamentares estavam a dirigir-se a Greta.