Princesa Madalena da Suécia batiza a filha Leonore

Festa realizou-se no mesmo dia em que os pais da bebé completam um ano de casamento

A primeira filha da princesa Madalena da Suécia e de Christopher O'Neill foi batizada na manhã deste domingo capela do palácio de Drottningholm, situado em Estocolmo, e contou com a presença de cerca de 160 convidados.

Para cumprir a tradição, a princesa Leonore - que é a quinta na linha de sucessão ao trono sueco - usou um vestido em tons creme muito semelhante ao usado pela filha da princesa Victoria e sua prima, a princesa Estelle, no dia do seu batizado. A princesa Madalena, por seu turno, optou por um vestido em renda rosa-pálido.

Entre os 160 convidados para a cerimónia estiveram presentes os avós maternos, os reis Carlos Gustavo e Sílvia, o príncipe Carl Philip que acompanhou a mãe de Chris O`Neill, Eva Maria Walter, e o príncipe Daniel, marido da herdeira do trono sueco.

Para o seu batizado, a princesa Leonore teve direito a um total de seis padrinhos e madrinhas: A princesa Victoria, Tatjana d`Abo, Louise Gottlieb, Patrick Sommerlath, o conde Ernst Abensperg und Traun e Alice Bamford.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.