Mulher de Michael Schumacher vende casa e avião do piloto

Corinna Schumacher já vendeu a casa de férias na Noruega e procura comprador para o avião privado, um Falcon 2000 FX, do piloto de Fórmula 1. Michael Schumacher continua a recuperar de um acidente de esqui nos Alpes Franceses, em dezembro de 2013

A mulher do piloto alemão vendeu a residência de verão que o casal tinha na Noruega e, agora, quer encontrar um comprador para o avião particular de Schumacher, um Falcon 2000 FX, pelo qual o campeão de Fórmula 1 terá pago 35 milhões de euros, segundo a revista Bunte. Já de acordo com a imprensa britânica, Corinna quer também desfazer-se do chalet da família em Méribel, nos Alpes Franceses, onde Michael Schumacher sofreu um acidente de esqui, em dezembro de 2013, que o deixou em coma.

A venda de propriedades, especula a comunicação social inglesa, poderá ter que ver com problemas financeiros, embora a fortuna de Schumacher esteja avaliada em cerca de 750 milhões de euros. Já aquela revista alemã refere que a venda das casas e do avião do marido tem que ver com o facto de o estado de saúde de Schumacher não apresentar melhoras e, desta forma, não poderem usufruir das suas propriedades."Quando ficou explícito que ele nunca mais será o mesmo, Corinna aceitou a sua nova vida e começou a agir", diz a Bunte, acrescentando: "Ela sofreu uma transformação notável: Deixou de ser apenas sua mulher para passar a ser líder de família".

As mais recentes notícias sobre Schumacher foram dadas há dias por Sabine Kehm,o representante da família, que garantiu que o seu estado de saúde apresentava algumas melhoras. "Será um caminho grande", terminou. O piloto tem estado, ao longo dos últimos meses, na sua casa na Suíça, onde é permanentemente acompanhado por uma equipa de médicos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.