Madonna junta-se às vozes contra Dolce & Gabanna

Nas redes sociais, a cantora norte-americana publicou uma imagem de uma campanha que protagonizou em 2010 para a marca italiana e mostrou que também está contra as declarações da dupla de estilistas

Chegou a vez de Madonna dizer o que pensa sobre Domenico Dolce e Stefano Gabbana rejeitarem pais do mesmo sexo e chamarem de "sintéticas" as crianças concebidas através de fertilização in vitro. Para o fazer, a cantora norte-americana publicou no Instagram a imagem de uma campanha que protagonizou em 2010, juntamente com um bebé, para a dupla de estilistas italianos.

"Todos os bebés contêm uma alma, como quer que cheguem a este planeta e às suas famílias. Não há nada de sintético numa alma! Como é que podemos desprezar a fertilização in vitro e as barrigas de aluguer? Todas as almas nos chegam para nos ensinarem alguma coisa. Deus tem a sua mão em tudo, mesmo na tecnologia! Somos arrogantes ao pensarmos que o Homem faz tudo por si. Pensem antes de falar", escreveu Madonna como legenda da fotografia.

A primeira figura pública a manifestar-se contra as afirmações que Dolce e Gabanna fizeram em entrevista à revista italiana Panorama foi Elton John, que tem dois filhos com o marido, David Furnish, através de fertilização in-vitro.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.